Irmãs siamesas passarão por bateria de exames em BH

Duas crianças gêmeas xifópagas - unidas uma a outra pelo tórax -, que nasceram na madrugada da última sexta-feira, no município de Salinas, a 624 quilômetros da capital mineira, na região Norte do Estado, devem ser transferidas ainda hoje para a Santa Casa de Belo Horizonte, onde serão submetidas a novos exames para avaliar a possibilidade da realização de uma cirurgia de separação dos corpos.Os bebês estavam internados na UTI Neo-Natal do hospital Clemente Faria, em Montes Claros. Segundo informações do hospital, eles foram removidos da UTI pela manhã e a previsão era de que até o final da tarde já estivessem na capital. Um exame de ecocardiograma realizado no sábado pelos médicos do Clemente Faria, contudo, revelou que o caso é complexo e inspira cuidados.De acordo com as primeiras análises, cada uma das crianças possui dois pulmões e colunas vertebrais independentes. Mas o Raio X não é conclusivo no que se refere a outros órgãos internos e existe a suspeita de que as gêmeas compartilhem o mesmo coração e o mesmo fígado.A mãe das xifópagas, a lavradora Maria Aparecida Pereira da Silva, de 17 anos, continua internada na Policlínica Municipal de Saúde, em Salinas - também no Norte de Minas -, onde deu à luz, por meio de parto normal, às meninas. Segundo informações da policlínica, a adolescente passava bem. Ela e o marido, o lavrador Adenilson de Moraes, residem na comunidade de Tamboril, na zona rural de Frutas do Leite, cidade localizada próxima a Salinas. O caso de gêmeos xifófagos é raro e, de acordo com especialistas, ocorre na ordem de um para cada 80 a 100 mil partos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.