Irritado com PT, Hélio Costa quer PDT na vice

Disposto a pressionar o PT, o PMDB mineiro decidiu avançar nas articulações com outros partidos para compor uma chapa majoritária no Estado. Irritados com a disputa entre os petistas Fernando Pimentel e Patrus Ananias, os peemedebistas resolveram tocar a pré-campanha de Hélio Costa e ensaiam um acordo com o PDT.

Eduardo Kattah, BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2010 | 00h00

Nos bastidores, já se fala nos nomes dos deputados Mário Heringer e Zezé Perrella para o posto. As conversas avançam também com o PR, que tem como pré-candidato ao Senado Clésio Andrade.

Apesar do apelo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva por um palanque único em Minas para a presidenciável Dilma Rousseff, os peemedebistas desconfiam que a estratégia do PT mineiro é jogar com o tempo e tentar desidratar a pré-candidatura de Hélio Costa, que até então lidera as pesquisas de intenção de voto.

"A preferência até o momento é do PT, mas temos de fechar a chapa. A conversa com o PDT tem sido muito boa. Estamos aparando arestas para o partido vir inteiro conosco", observou ontem o presidente estadual do PMDB, deputado Antônio Andrade.

No domingo serão realizadas as prévias para a escolha do nome petista, mas o presidente do PT mineiro, deputado Reginaldo Lopes, reitera que o vencedor terá de ser submetido à aprovação no encontro estadual, marcado para de 21 a 23 de maio.

Por um entendimento prévio, caso Costa seja mesmo o cabeça de chapa, a vaga de vice ficaria com um petista - o nome mais falado é o do deputado Virgílio Guimarães - e o vencedor das prévias seria indicado para o Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.