Isabella quer ser psicóloga

Isabella tinha 12 anos e estava em casa com seus dois irmãos menores. Seu pai, pedreiro, esperava no aeroporto para embarcar para Rondônia, onde tinha conseguido um novo serviço. Sua mãe começou a passar mal. Isabella chamou a ambulância. Não deu tempo, e ela morreu de enfarte. Seu pai entrou em depressão. Um ano depois, juntou com sua madrasta, e melhorou. Há dois meses, se deprimiu de novo. Não está trabalhando. É diabético, toma remédio controlado e bebe. "Ele já bebia antes, e uma vez bateu na minha mãe na nossa frente." Aos 15 anos, Isabella cursa a 8.ª série e tem um sonho: "Quero ser uma grande psicóloga, para ajudar as crianças. Quando minha mãe morreu, me senti muito só." Ela descobriu a profissão sendo atendida por uma psicóloga da Casa do Zezinho. Depois de ver a novela Páginas da Vida, decidiu fazer metade do curso em Amsterdã, onde transcorre parte do enredo. Isabella quer começar a trabalhar no ano que vem. "Vou estudar para a prova do Enem e entrar numa faculdade legal com bolsa", planeja. "Nada é impossível, mas, caso não consiga, eu mesma vou pagar a faculdade, com o meu trabalho."

, O Estadao de S.Paulo

06 de dezembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.