Itália encontra corpo no mar que pode ser de brasileira desaparecida durante cruzeiro

Serão realizados exames de DNA; autoridades italianas trabalham com a hipótese de homicídio doloso

O Estado de S.Paulo

12 Julho 2017 | 15h33

Um corpo encontrado no mar por equipes de investigação italianas pode ser da brasileira Simone Scheuer, de 35 anos, funcionária da MSC desaparecida durante um cruzeiro.  A Promotoria de Brindisi, que investiga o caso, foi informada pelas autoridades da cidade de Údine sobre o corpo e agora realiza testes de reconhecimento do cadáver, que está em estágio avançado de decomposição.

O corpo de uma mulher foi achado em 2 de julho, no mar de Lignano Sabbiadoro, pela Capitania dos Portos de Grado, em Udine. De acordo com fontes da investigação, as roupas eram idênticas àquelas que Simone usava quando desapareceu. Mas falta a confirmação por exame de DNA.

Simone foi vista pela última vez em 18 de junho, quando o cruzeiro estava em Veneza, que fica a cerca de 66 quilômetros de onde o corpo foi encontrado.  Seu desaparecimento foi notificado às autoridades em 19 de junho, quando o navio da MSC estava perto de Pescara, por onde ficou por cerca de uma hora antes de zarpar para Brindisi, onde chegou com atraso.

O promotor Milto Stefano De Nozza trabalha com a hipótese de homicídio doloso cometido por uma pessoa ainda não identificada. Mas outras possibilidades não foram excluídas. O médico legista Lorenzo Desinan ainda não conseguiu estabelecer as causas da morte pela análise dos restos mortais. O corpo pode ter caído no mar antes ou depois da parada do navio em Veneza e ter sido levado pelas correntes marítimas do Adriático.   

A família de Simone, que vive em São Paulo, tinha lançado um apelo para tentar encontrar a brasileira. Os investigadores italianos apreenderam tudo que estava na cabine da mulher e analisa também as imagens das câmeras de segurança. Simone Scheuer Sousa fazia parte da tripulação do MSC Musica e trabalhava na limpeza do transatlântico. De acordo com familiares e amigos, a brasileira teria rompido recentemente um namoro de dois anos com um colega, qua a teria traído. /ANSA

Mais conteúdo sobre:
ItáliaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.