Itália prende grupo acusado de exploração infantil no Brasil

A polícia italiana prendeu nesta terça-feira uma quadrilha que organizava turismo sexual, inclusive com crianças, para a cidade de Fortaleza. Entre os presos está a brasileira Angélica Ribeiro, de 31 anos, seu marido, o italiano Luigi Meraglia, de 48 anos, e outros dois donos de agências de viagens.Depois de mais de um ano investigando proprietários de sete empresas de turismo em diversas partes da Itália, as autoridades conseguiram prender em flagrante os três homens e a brasileira, acusados de enviar todos os anos pelo menos mil italianos à capital cearense. Os presos são acusados de explorar a prostituição infantil no Brasil e são proprietários de agências de turismo nas cidades de Torino, Palermo, Roma e Caltanissetta. A polícia acredita que Angélica e Meraglia sejam os líderes do grupo. Alberto Intini, chefe da operação que capturou os quatro acusados, disse que os turistas italianos pagavam em torno de 2 mil euros pela viagem, incluindo hotel e a garantia de fazer sexo com menores de idade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.