Italiano é preso em Aracaju acusado de tráfico de mulheres

O italiano Francesco Affolti, 44 anos, está preso em Aracaju, acusado de tráfico de mulheres, depois que a Polícia Civil sergipana desencadeou a Operação Buona Gente. Segundo a polícia, Affolti, que está em situação irregular no País, recrutava mulheres em Alagoas e no interior de Sergipe com promessa de dinheiro fácil e dizendo que elas "iriam participar de uma espécie de Big Brother que aconteceria em Aracaju", disse a delegada do Centro de Atendimento a Grupos Vulneráveis, Maria Aparecia Filgueiras Sá.A polícia sergipana já vinha investigando o italiano desde o ano passado, após ter recebido denúncias anônimas sobre uma casa de prostituição no bairro Atalaia, de classe média alta, em Aracaju. Foi constatado que ele é proprietário da casa Class Massagem, onde trabalhavam as mulheres recrutadas. Ao invés do programa Big Brother, elas realizavam "programas" que custavam, em média, R$ 809, dos quais R$ 40 ficavam com Francesco e o restante repassado para as mulheres. Elas eram obrigadas a pagar uma taxa de manutenção do espaço, sobrando pouco dinheiro.No momento em que foi preso, Francesco trazia de Alagoas cinco mulheres para trabalhar na casa de massagem. Ele autuado em flagrante pelo crime de tráfico interno de seres humanos - artigo 231ª do Código Penal Brasileiro - que prevê uma pena de três a oito anos de reclusão. O italiano, que é natural de Milão e mora em Aracaju desde 2003, está detido na carceragem do Centro de Atendimento aos Grupos Vulneráveis.

Agencia Estado,

04 de janeiro de 2007 | 14h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.