Italiano é preso no Ceará por beijar filha na boca

Caso seja enquadrado pela Lei do Estupro, ele pode pegar até 15 anos de detenção; turista diz que só deu ?selinho? e foi defendido pela mãe da garota

Lauriberto Braga, FORTALEZA, O Estadao de S.Paulo

04 de setembro de 2009 | 00h00

Um turista italiano de 40 anos está preso em Fortaleza. Ele é acusado de fazer carícias íntimas em público e beijar na boca a filha de 8 anos de idade. Em depoimento, o italiano disse que apenas deu um "selinho" na filha, algo comum em seu país, no que foi também defendido pela mãe da garota, que é brasileira.

Ele pode ser enquadrado pelo crime de estupro de vulnerável e pegar de 8 a 15 anos de prisão, conforme a nova Lei do Estupro, que entrou em vigor no dia 1º de agosto. A legislação estabelece como violência sexual toques corporais e beijo forçado. Ele está numa cela comum com outros 15 presos, no 2º DP, mas deve ser transferido para a Delegacia de Capturas.

A criança foi atendida ontem na Delegacia de Combate aos Crimes de Exploração da Criança e do Adolescente. A menina, segundo a delegada Ivana Timbó, foi ouvida por psicólogas e assistentes sociais, mas não acrescentou muito ao caso nem informou se havia sido molestada. "Agora tenho dez dias para mandar o caso para o Judiciário. Vou convocar testemunhas para a apuração."

O italiano está em férias em Fortaleza com a família. Ele foi preso em flagrante pelo delegado José Barbosa Filho, na tarde de anteontem,- quando, segundo testemunhas que se divertiam na piscina da barraca Crocobeach, na Praia do Futuro, beijava e acariciava intimamente a filha.

O advogado do turista, Flávio Jacinto, vai entrar com pedido de relaxamento da prisão. Pelo fato de ter sido lavrado flagrante, o italiano terá de aguardar dez dias para conclusão do inquérito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.