Itamar se diz "decepcionado" com Lula

O ex-presidente Itamar Franco (sem partido) afirmou nesta manhã em Belo Horizonte ao acompanhar uma carreata ao lado do candidato à Presidência do PSDB, Geraldo Alckmin, e do governador de Minas, Aécio Neves, que está muito decepcionado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para Itamar, diante da sucessão de escândalos que atingiram o governo Lula, fica "claro" que o presidente tinha conhecimento sobre os fatos. Para Itamar, Lula é como "um realejo", pois "fala sempre a mesma coisa"."A gente não pode deixar de acreditar que o presidente da República pode não saber o que está acontecendo. Mas digamos que ele não soubesse a primeira vez. Mas com essa sucessão de fatos, é claro que ele sabe. Se ele não sabe, a mídia sempre indica que ele deve saber"Ele disse que, ao conhecer Lula, encontrou "um homem simples". Agora, no entanto, Lula é, segundo ele, "um homem prepotente, que não pensa no País; só pensa no poder". Ele comparou o governo Lula com um feixe de palha, que o vento dissolve facilmente.Na opinião do ex-presidente, porém, "é bobagem discutir impeachment agora". Apesar de afirmar que o "povo está anestesiado", Itamar disse que acredita numa reviravolta na eleição presidencial. "Temos uma semana ainda para mostrar que no processo democrático você pode ter um governo ético, voltado para as classes menos favorecidas e não a mistificação".Itamar considera a situação atual muito "triste" para o País e para a democracia, e um reflexo muito negativo para a juventude, que observa o quadro político. Ele ironizou as exaltações de Lula em relação à sua própria gestão e criticou os índices de crescimento da economia. "Costuma dizer que há 24 anos, há 50 anos, há 90 anos, só ele que fez algo de positivo no Brasil. Todo o governo é uma somatória", avaliou, afirmando que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 5,4% em 1994, último ano de seu mandato. "Temos hoje crescimento de 2,5%, 0,5%". Itamar apoiou Lula em 2002 e ocupou o cargo de embaixador do Brasil na Itália. "Acreditava muito nele", disse.DificuldadesNo caso de Lula conquistar nas urnas mais um mandato, ele acredita que o presidente terá dificuldades internas e externas para governar. "O quadro internacional que o favoreceu nos últimos anos não será o mesmo a partir do próximo ano, como prevê o próprio FMI (Fundo Monetário Internacional). E no quadro interno, Lula também terá um governo muito difícil".Depois de perder a vaga para disputar uma cadeira de senador e desfiliar-se do PMDB, Itamar defende a convocação de uma Constituinte exclusiva, no ano que vem, para fazer a revisão constitucional.

Agencia Estado,

23 de setembro de 2006 | 12h04

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.