Itamaraty espera trazer Iruan de volta no sábado

O Itamaraty está convencido de que conseguirá devolver o menino gaúcho, Iruan Ergui Wu, de oito anos, à família brasileira neste sábado à noite. Há quase três anos, a avó do garoto Rosa Leocádia Ergui, moradora de Canoas (RS), tenta trazer o neto de volta de Taiwan onde ele mora com tio Huer Eam Wu. Hoje, a Justiça de Taiwan e o representante comercial do Brasil em Taipé, o diplomata Paulo Pereira Pinto, irão à casa do tio resgatar o garoto. Hoje foi o prazo final para Wu entregar o sobrinho, voluntariamente, à Justiça e ao diplomata brasileiro. Ele descumpriu a determinação e ainda fez novas manobras protelatórias para impedir a devolução de Iruan, informou a deputada Maria do Rosário (PT-RS), representante da Comissão Interinstitucional pela Volta de Iruan e presidente da Frente dos Direitos Humanos da Criança e do Adolescente na Câmara. Segundo a deputada, não há mais qualquer chance de reverter a decisão judicial já confirmada pela terceira vez e se o tio nãodevolver o menino poderá até ser preso. A assessoria do Itamaraty informa que o ministro Paulo Pinto já está com o passaporte chinês de Iruan e as passagens para sair do país. Como Iruan é menor de idade, o diplomata irá acompanhá-lo na viagem.Iruan viajou a Taiwam com o pai, o marinheiro chinês Teng Shu Wu. Uma semana após a chegada, o pai morreu e osparentes não quiseram devolver o garoto que já havia perdido a mãe, uma brasileira, quando tinha dois anos de idade. A avó criava Iruan e seu irmão, seis anos mais velho. Ao saber da morte do marinheiro, a avó iniciou a briga judicial para reaver o neto. A campanha envolveu também gestões diplomáticas. A pedido da comissão interinstitucional, conta a deputada Maria doRosário, o Itamaraty ameaçou não renovar vistos dos representantes comerciais de Taiwan no Brasil. A comissão também pediu ao governo maior rigor na fiscalização sobre produtos e sobre a presença de navios pesqueiros com origem de Taiwan nos mares do sul da costa brasileira. ?O Brasil está defendendo uma criança brasileira?, disse a deputada, que reconhece que Iruan pode Ter dificuldades de adpatação no Brasil pelo tempo que já passou no exterior. A deputada diz que o menino foi roubado do convívio com os parentes brasileiros e sequer tem noção da luta da avó para trazê-lo de volta. ?No futuro, ele poderá escolher ficar no Brasil ou voltar para Taiwan.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.