Já Santana, Pompéia e Vila Mariana vivem boom

Nesses bairros, que até anos atrás careciam de opções, bares estão cada vez mais lotados

Humberto Maia Junior, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2007 | 00h00

O pagode rolava solto no Taberna, na Avenida Luís Dumont de Villares, em Santana, zona norte, na noite de quinta-feira. De frente para o palco, o comerciante Daniel Bravo, de 19 anos, dançava abraçado a uma menina. Ao redor, mesas lotadas e várias pessoas dançando.Há alguns anos, ele estaria se divertindo em algum lugar na Vila Olímpia ou no Itaim, na zona sul. Hoje, prefere ficar na zona norte. ''''Em 15 minutos, estou em casa'''', diz Bravo, que mora no Jaçanã.Como ele, milhares de paulistanos estão se aproveitando do boom de bares em regiões que, até poucos anos, careciam de opções de lazer noturnas. Pompéia, Vila Mariana, Vila Leopoldina e algumas ruas da zona norte são alguns desses locais.Para o consultor de negócios de gastronomia Eduardo Scott, a descentralização dos bares e casas noturnas só traz benefício à cidade e aos moradores. Com bares mais perto de casa, o deslocamento é menor, o que diminui os congestionamentos. Além disso, como essas áreas ainda são menos visadas pelo mercado imobiliário, o custo é menor para os empresários - e para os clientes.Um copo de 350 mililitros de chope custa R$ 3,50 no Aldeia da Villa, também em Santana. No Filial, um dos bares mais badalados da Vila Madalena, a tulipa de 320 ml sai por R$ 4.''''É mais perto de casa, mais barato e mais seguro'''', diz Henry Buffa, de 22 anos, que comemorava na quinta-feira à noite a formatura do curso de Administração no Aldeia da Villa. Buffa é outro ex-freqüentador dos bairros badalados da cidade. ''''Hoje só saio na zona norte.''''O gerente do Aldeia, Antônio Castro, com 28 anos de experiência no ramo, diz que a tendência é abrir novas casas nos bairros. ''''Hoje, a noite caminha para cá.''''Quando perguntado sobre bons locais para investir, Scott também evita recomendar locais tradicionais. ''''As Vilas Mariana e Leopoldina e até o centro têm potencial para serem os bairros boêmios de São Paulo.''''Há quatro meses, Benedita Aparecida de Souza, de 51 anos, abriu o Bar Dita Cabrita, na Pompéia, zona oeste. Garante nem ter sonhado com a Vila Madalena. ''''Lá está saturado'''', diz. Não se arrependeu da escolha. ''''Aqui estamos começando, mas estamos indo muito bem e vamos crescer com o bairro.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.