Já são 30 os estrangeiros impedidos de entrar no Brasil

Polícia Federal nega princípio de reciprocidade; nesta terça, cinco turistas foram barrados em Salvador

Tiago Décimo e Talita Figueiredo, especial para o Estado,

12 de março de 2008 | 06h35

Já chega a 30 o número de estrangeiros impedidos de entrar no Brasil desde a última quinta-feira, 6. Deste total, dezenove turistas foram barrados no Aeroporto Internacional de Salvador, sendo cinco nesta terça-feira. Outros dez, entre eles sete espanhóis, no Aeroporto Internacional do Rio desde sábado. A Polícia Federal nega que está aplicando o princípio de reciprocidade. Na semana passada, a Espanha impediu a entrada de pelo menos 30 brasileiros. Veja tambémSaiba como agir se for barrado em aeroporto Policiais espanhóis chamaram brasileiros de 'cachorros', diz mãeBrasil ameaça restringir entrada de espanhóis no PaísBrasil deve adotar medidas contra espanhóis?   Nesta terça-feira, três espanhóis, uma alemã e um italiano foram mandados de volta à Europa, pouco depois dos vôos em que estavam pousarem no aeroporto de Salvador. O italiano desembarcou no fim da tarde. Procedente de Lisboa (Portugal), em um vôo regular da TAP, com 184 passageiros a bordo, Jean Pietro Boldini, de 50 anos, teve sua entrada recusada, segundo a Polícia Federal, por ter excedido o limite de 180 dias de visita permitidos pela legislação na última viagem que havia feito ao Brasil, em 2002. Já os espanhóis e a alemã, que não tiveram os nomes divulgados, foram repatriados porque não preencherem todos os requisitos previstos pela lei de imigração, segundo a PF. Eles vieram no vôo UX-083, procedente de Madri (Espanha), que pousou no aeroporto às 21h20. O UX-083, da Air Europa, tem quatro freqüências semanais Madri - Salvador e é o vôo mais visado pelas agentes da PF na capital baiana: dos 19 visitantes repatriados até o momento, 17 estavam nele. No Rio, as deportações ocorreram entre sábado e segunda-feira. Segundo a assessoria de imprensa da Superintendência da Polícia Federal no Rio, os turistas foram barrados por falta de documentos. Na noite de segunda-feira, sete espanhóis que chegaram ao Rio num vôo da Iberia, foram mandados para casa. Eles afirmarem que viajavam a trabalho, mas não tinham os vistos necessários. Na última sexta-feira, chegaram ao Rio quatro brasileiros que foram impedidos de entrar na Espanha, entre eles dois estudantes que participariam de um congresso em Lisboa. Vinte brasileiros foram repatriados até a sexta passada. A PF informou no entanto, que o procedimento de repatriação de estrangeiros é usual e não representa retaliação. Segundo a superintendência, os primeiros estrangeiros a voltar para casa foram dois americanos que chegaram ao país no fim de semana. Um deles estava sem o passaporte e o outro com o visto vencido. Uma portuguesa que trabalhava no Brasil também foi obrigada a voltar para seu país, porque estava com o visto de trabalho vencido. No domingo, um espanhol de 28 anos foi impedido de entrar no País no Aeroporto Internacional Augusto Severo, no Rio Grande do Norte. Raul Anchel Gracia Dominguez, que veio num vôo de Madri, não tinha passagem de volta para o seu país e, por isso, foi deportado. De acordo com o agente Alberto Barros da Rocha Junior, da Delegacia de Polícia de Imigração, responsável pela emissão do Auto de Infração e Notificação, o estrangeiro estava apenas com uma mochila e disse que iria para a praia de Pipa, no litoral potiguar.Ao ser avisado de que seria repatriado, reconheceu o erro e não esboçou qualquer tipo de reclamação. Contudo, o comandante da aeronave, à princípio, apresentou resistência para levá-lo de volta, mas teve que se render à lei brasileira. O turista retornou à Espanha na noite do domingo. (Colaborou Solange Spigliatti, do estadao.com.br)var keywords = "";

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.