Jader manobra e atrapalha planos do PT no Pará

O PT do Pará sente a cada dia o resultado de caminhar nesta eleição sem o apoio do PMDB, partido que foi decisivo na eleição da governadora Ana Júlia Carepa, em 2006. Na eleição para o Senado, os petistas esperavam que Jader Barbalho fosse o candidato único do PMDB, o que indiretamente aumentaria a chance de sucesso do deputado Paulo Rocha, único lançado pelo PT ao Senado. Mas o PMDB, no limite do prazo, decidiu registrar um segundo nome ao Senado.

Carlos Mendes, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2010 | 00h00

O candidato é o funcionário do Incra José Nazareno Sanches da Silva, que também é o tesoureiro do PMDB. Sanches, na eleição de 2002, concorreu ao Senado como 2.º suplente do partido. Jader quer descarregar nele o segundo voto para senador.

"O PT, de fato, perde o segundo voto do PMDB ao Senado em municípios onde a aliança entre os dois partidos funcionava muito bem, mas para mim essa decisão não foi nenhuma surpresa", criticou o coordenador da campanha petista, André Farias.

Jader ironizou. "É engraçado, a coligação que apoia a governadora já tem quatro candidatos ao Senado, mas eles estão preocupados conosco." Segundo ele, o PMDB nada deve ao PT ou a Ana Júlia. "Nós a elegemos e a apoiamos enquanto pudemos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.