RICARDO DUARTE/Agência RBS/
RICARDO DUARTE/Agência RBS/

'Jamais compactuaria com uma coisa dessas', diz pai de Bernardo

Em depoimento a juiz na cidade de Três Passos, o médico Leandro Boldrini culpou a mulher, Graciele Ugulini, pelo crime

Lucas Azevedo, Especial para O Estado

27 Maio 2015 | 15h28

PORTO ALEGRE - O médico Leandro Boldrini, pai do menino Bernardo, negou, nesta quarta-feira, 27, ter participado da morte do menino, em abril de 2014, no interior gaúcho. Em depoimento a um juiz no fórum da cidade de Três Passos, ele culpou a mulher, Graciele Ugulini, pelo crime. "Sou uma pessoa esclarecida e jamais compactuaria com uma coisa dessas", disse Boldrini.

Assim como o médico, Graciele, a amiga do casal, Edelvânia Wirganovicz, e seu irmão, Evandro Wirganovicz, devem prestar depoimento nesta tarde. Todos são réus no processo criminal sobre o assassinato de Bernardo.

O depoimento de Boldrini durou cerca de três horas. Vestindo um colete à prova de balas, o pai de Bernardo admitiu não ter sido um bom pai. Ele negou conhecer Edelvânia e confirmou o mau relacionamento entre o filho e Graciele.

Mais conteúdo sobre:
Bernardo Boldrini Rio Grande do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.