Jantar de Lula dividirá arrecadação com campanha de Mercadante

O senador Aloizio Mercadante deverá receber uma contribuição de aproximadamente R$ 1 milhão para sua campanha ao governo paulista, graças ao jantar com empresários que será realizado na próxima sexta-feira, no Jockey Club de São Paulo, para arrecadar colaborações para a campanha do presidente Lula à reeleição. De acordo com o presidente estadual do PT, Paulo Frateschi, a campanha de Mercadante deverá ficar com a metade dos cerca de R$ 2 milhões que deverão ser arrecadados no evento.A divisão da receita, que será obtida com a venda de cerca de 1.000 convites a um preço de R$ 2.000 cada, reflete uma decisão conjunta dos comitês de campanha de Mercadante e de Lula, de acordo com o presidente estadual do PT.No entanto, Frateschi admite que as contribuições serão solicitadas em nome do presidente Lula e não em nome dos dois candidatos. Isso significa que os empresários que decidirem participar do evento para colaborar com a campanha presidencial estarão, indiretamente, abastecendo a campanha estadual.Segundo o presidente do PT paulista, que também é coordenador da campanha de Mercadante, a idéia inicial era organizar um jantar para arrecadar recursos para a candidatura do senador. Diante da disposição de Lula em participar, os comitês de campanha de ambos os candidatos teriam concordado esta seria uma boa oportunidade de fazer um evento para promover a candidatura de Lula à reeleição na capital paulista.Apesar de a venda de convites ser feita em nome de Lula, Frateschi afirma que não vê problemas na divisão da arrecadação. "Nós não estamos enganando ninguém", afirmou, acrescentando que as duas campanhas são "muito próximas". De qualquer forma, ele admite que os recursos serão de grande ajuda para o senador petista. "Esta é uma grande ajuda que o Lula está dando ao Mercadante."Frateschi evitou falar sobre o andamento da arrecadação de campanha de Mercadante. Segundo ele, ainda é cedo para dizer quanto poderá ser obtido com contribuições, já que este é o momento de "pedir", para somente depois obter o retorno. "Mas acho que estamos no caminho certo", disse o presidente do PT paulista. "Estamos todos trabalhando muito".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.