Jatene prega pacto contra desigualdade social

Sem prometer cargos, governador eleito quer ajuda da ampla coligação de partidos que o apoiou para aprovar pacote

Carlos Mendes ESPECIAL PARA O ESTADO BELÉM, O Estado de S.Paulo

02 Novembro 2010 | 00h00

PARÁ

O governador eleito do Pará, Simão Jatene (PSDB), afirmou ontem que pretende costurar o que define como "grande pacto de união" em torno de um projeto para resgatar a autoestima da população e acabar com as desigualdades sociais que atormentam o Estado. Para ele, esse resgate inclui investimentos maciços em educação, geração de empregos e saúde. Durante a campanha, o PSDB teve como aliados o PPS e o DEM, mas na reta final ganhou a adesão do PMDB, PTB e parte do PR. O pacto defendido pelo novo governador não prevê a distribuição de secretarias ou cargos.

Jatene disse que espera ter um bom relacionamento com a presidente eleita, Dilma Rousseff. "Eu e ela precisamos honrar os votos que recebemos. Terei com os prefeitos de outros partidos, no exercício do governo, o mesmo respeito que espero dela para comigo."

Sobre a adversária Ana Júlia Carepa (PT), a quem derrotou por 383 mil votos de vantagem em todas as regiões paraenses, Jatene disse que a vitória veio porque houve "um desencanto com o governo atual". Antes de assumir o cargo, o tucano espera que Carepa aceite a criação de uma comissão de transição, inclusive, com a participação de representantes do Ministério Público Estadual (MPE) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Ele negou que pretenda fazer uma devassa nas contas do governo petista. A governadora disse que vai entregar a Jatene um governo "mil vezes melhor" do que recebeu do próprio tucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.