Marcelo Camargo/Agência Brasil via AP
Marcelo Camargo/Agência Brasil via AP

João de Deus é internado em Brasília após mal-estar e incômodo no peito

Quadro de saúde é estável e covid-19 está descartada; condenado a mais de 60 anos de prisão, médium cumpre pena em casa desde março

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2020 | 18h05

O médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, de 78 anos, deu entrada no hospital Sírio-Libanês de Brasília na madrugada deste sábado, 24, após sentir mal-estar e incômodo no peito. A unidade de saúde descartou a possibilidade de covid-19 e afirmou que o quadro é estável, mas reforçou a necessidade de internação.

João de Deus acumula 63 anos e quatro de meses de prisão em três condenações diferentes: estupros contra cinco mulheres (40 anos em regime fechado), violação sexual mediante fraude contra duas mulheres e estupro de vulnerável contra outras duas (19 anos e quatro meses em regime fechado) e porte ilegal de armas (quatro anos em regime aberto). O médium nega as acusações de abuso sexual.

O Sírio-Libanês ressaltou que João de Deus é um paciente cardiológico e oncológico. Não há previsão de boletim médico, pois isso depende de um acordo entre paciente, família e hospital. Até o momento, não houve solicitação do boletim por nenhuma das partes.

João de Deus já havia sido internado nesta sexta-feira em um hospital de Anápolis, em Goiás, onde cumpre prisão domiciliar. Devido a uma piora no quadro de saúde, precisou ser transferido para o Sírio, na capital federal.

O médium está em prisão domiciliar desde março, quando a juíza Rosângela Rodrigues dos Santos autorizou a transferência por se tratar de um detento no grupo de risco da covid-19. Ele é obrigado a usar tornozeleira eletrônica e está proibido de manter contato com testemunhas e vítimas.

O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) ainda não concedeu autorização para a saída do perímetro da prisão domiciliar. Em situações de emergência, no entanto, a Justiça permite ao preso comunicar a internação posteriormente.

Tudo o que sabemos sobre:
João de Deus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.