Joaquim Roriz é denunciado por fraude contábil, crimes fiscais e violação de lei

MINISTÉRIO PÚBLICO

, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2010 | 00h00

A Justiça de Brasília recebeu denúncia do Ministério Público contra o ex-governador Joaquim Roriz (PSC) por violação da Lei de Responsabilidade Fiscal, fraude contábil e crimes fiscais na área de saúde no fim de seu mandato, em 2002. Candidato à reeleição, Roriz teria passado por cima das normas para efetuar gastos ilegais muitas vezes mediante emissão de vales e declarações improvisadas. "A balbúrdia contábil lembra a forma adotada nos tempos em que as transações comerciais eram feitas na base da confiança entre pequenos comerciantes e moradores das cidadezinhas do interior", diz a denúncia. O dano ao erário público foi estimado em R$ 12 milhões. "Conforme havia necessidade de comprar medicamentos, o administrador escolhia a empresa de sua preferência e negociava o pedido", descreve. Foram denunciados também o ex-secretário de Fazenda Valdivino Oliveira e os ex-secretários da Saúde Arnaldo Bernardino Alves, Paulo Afonso Kalume Reis e Aloísio Toscano França. Por meio de sua assessoria, Roriz informou que sempre agiu dentro do rigor da Lei de Responsabilidade Fiscal e que as contas de seu governo no período foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.