Jobim assina na segunda a abertura de inquérito contra a Anac

Ministro da Defesa quer investigar a entrega de documentos sem validade para a liberação de Congonhas

Tânia Monteiro, do Estadão,

24 Agosto 2007 | 13h20

O ministro Nelson Jobim vai assinar na segunda-feira, 27, uma portaria no Ministério da Defesa para instauração de inquérito que vai investigar o repasse pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de documentos sem validade à Justiça, para a liberação do Aeroporto de Congonhas de São Paulo. Nesta sexta-feira, 27, o ministro da Defesa Jobim disse que quer que o inquérito fique pronto em menos de 30 dias, embora o prazo normal seja de 60 dias.    Antes do acidente, 11 pousos tiveram problemas em Congonhas Anac já sabia em dezembro que avião poderia 'varar' pista Dossiê mostra que empresas e Anac discutiram norma Diretora diz que não sai e ministro da Defesa se irrita MPF apura três crimes ligados ao uso do documento Todas as notícias sobre a crise aérea  Especial sobre a crise aérea    Questionado se o inquérito envolveria somente a diretora da Anac Denise Abreu, que encaminhou pessoalmente os documentos ao Tribunal Regional Federal de São Paulo, Jobim disse que "o problema em relação a doutora Denise é que foi ela quem esteve junto com a juíza" no tribunal. "Os outros integrantes da Anac não estiveram", lembrou.   Segundo o ministro, no caso de Denise Abreu, a desembargadora Cecília Marcondes do TRF de São Paulo narrou claramente que a diretora da Anac esteve presente no momento da entrega da documentação à Justiça. "Se houver responsabilidade é da pessoa a quem foi delegada."   Sobre a possibilidade de pedido de afastamento preventivo de Denise, o ministro disse que isso só será decidido depois da abertura do inquérito. "Afastamento preventivo só depois de abertura do processo. Não vamos resolver isso por hora", afirmou. Sobre a resistência de Denise de se afastar do cargo, Jobim disse que isso "é problema dela, não meu". "O meu problema é examinar a questão a partir da perspectiva legal, não a partir da vontade das pessoas".   Nesta sexta, Jobim também afirmou que deve assinar, nos próximos dias, o ato que cria a Secretaria de Aviação Civil, que vai funcionar como Secretaria Executiva do Conselho de Aviação Civil (Conac). Na manhã desta sexta, Jobim participou de cerimônia no Exército, em comemoração ao Dia do Soldado.  

Mais conteúdo sobre:
crise aéreaAnacNelson Jobim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.