Jobim fala em multas contra empresas, mas poupa a Anac

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, sinalizou ontem com multas a empresas aéreas que descumprirem as regras. Para ele, segurança, regularidade e pontualidade têm de funcionar. "Vamos montar uma infra-estrutura para atender, na perspectiva do Estado, aquilo que é responsabilidade do Estado", disse, destacando que as empresas têm de fazer sua parte. "Precisamos ter fiscalização para que possamos aplicar multas se houver descumprimentos."Questionado se não era preciso aumentar o número de fiscais - hoje insuficiente -, o ministro disse que não tinha condições de definir isso. "Vamos fazer um levantamento."Mas evitou críticas à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que tem sido acusada por diversos segmentos da sociedade de não cumprir seu papel fiscalizador em relação às empresas. Para ele, "não dá para avaliar agora" se a Anac funciona. "Vamos fazer uma avaliação", declarou. "Temos de saber se uma agência funciona na sua função específica. Não quero fazer discussão de natureza teórica. Precisamos é saber se ela funciona ou não."Jobim também visitou o centro de controle de vôo de Manaus, o Cindacta IV, onde recentemente houve uma pane elétrica que parou o tráfego aéreo no País.

Manaus, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2006 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.