Jobim reitera 'renovação completa' da Anac após saída de Barat

Ministro da Defesa diz que vai negociar com senadores a aprovação rápida dos nomes indicados à agência

Luciana Nunes Leal, do Estadão,

26 Setembro 2007 | 12h51

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, voltou a afirmar nesta quarta-feira, 26, que a idéia é fazer uma renovação completa no comando da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Porém, quando foi questionado se já não havia passado da hora do presidente da agência, Milton Zuanazzi, sair do cargo, o ministro não quis responder. Jobim preferiu minimizar a possibilidade de paralisação da agência devido à saída de quatro de seus cinco diretores. "É bom, para sossegar um pouco", disse ele.   Zuanazzi está sozinho na Anac após renúncia do quarto diretor Leia a carta de renúncia de Josef Barat da diretoria da Anac CPI recua de indiciamentos na Anac   Após quase um ano de crise aérea, quatro dos cinco diretores da Anac renunciaram a seus cargos. Já pediram demissão Denise Abreu, Jorge Velozo, Leur Lomanto e Josef Barat - que entregou carta de renúncia na terça-feira, 25. Todos eles deveriam ficar no cargo até 2011.   Jobim lembrou, no entanto, que caso seja necessário a adoção de alguma medida emergencial por parte da Anac, o presidente Zuanazzi poderá adotar a decisão ad referendum. O ministro anunciou que vai negociar com os senadores a aprovação o mais rápido possível dos três nomes já indicados por ele para a diretoria da Anac. "Quero ver se combino com situação e oposição para tirar essa discussão da Anac e não envolver nos problemas políticos internos do Senado", afirmou.   Há duas semanas a oposição vem obstruindo as votações no plenário do Senado depois que o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) foi absolvido no processo de cassação de seu mandato. As indicações para a Anac precisam ser submetidas ao plenário.   Na semana passada, a Comissão de Serviços de Infra-Estrutura do Senado aprovou por unanimidade a indicação do brigadeiro Allemander Jesus Pereira Filho para a diretoria de Segurança Operacional da Anac. O nome do oficial depende ainda de aprovação dos senadores. Também já foram encaminhadas à Casa Civil as indicações dos economistas Marcelo Pacheco dos Guaranys e Solange Paiva Vieira, tida como preferida do ministro para assumir a presidência da Anac.

Mais conteúdo sobre:
crise aérea Anac Nelson Jobim

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.