Jordaniano aguarda extradição para os EUA em Porto Alegre

Preso na segunda-feira em Itaqui, na fronteira Brasil-Argentina, o jordaniano Shain Judeh, de 32 anos, será extraditado para os Estados Unidos em 30 dias. Enquanto o Supremo Tribunal Federal não concluir o processo, ele ficará detido nas celas da Polícia Federal em Porto Alegre, onde chegou na madrugada de terça-feira. Judeh está condenado a oito anos de prisão nos Estados Unidos por participação numa rede de tráfico de drogas com conexões no Canadá, mas, no depoimento, disse que não tem problemas com a Justiça daquele país. A captura de Judeh, que tem origem palestina e passaporte jordaniano, atendeu mandado da ministra Ellen Gracie, do STF, que expediu a ordem após receber pedido da Interpol. A Polícia Federal descobriu que Judeh estava residindo em Itaqui, onde tinha parentes, desde o início de abril, quando entrou no País desembarcando no aeroporto Salgada Filho, em Porto Alegre. O visto de turista, válido por 90 dias, estava vencido. O jordaniano foi capturado quando estava indo à cadeia local visitar um primo, chamado Kamel, preso por tráfico de drogas no Brasil e também procurado pela polícia norte-americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.