Jornada terá 42 mil jovens da Argentina, terra do papa

Nas últimas semanas, os argentinos organizaram rifas, sorteios, concertos de rock, peças de teatro e feiras de alimentos para reunir dinheiro para a viagem ao Rio

Ariel Palácios, O Estado de S. Paulo

17 Julho 2013 | 15h18

BUENOS AIRES - Mais de 42 mil jovens de diversas províncias argentinas registraram-se para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio de Janeiro. Os jovens, a maioria de organizações católicas ou grupos paroquiais, realizam seus últimos preparativos para a viagem rumo ao Brasil. Diversas estimativas indicam que metade dos peregrinos irá em ônibus e o restante, de avião.

O maior grupo organizado partirá na noite da sexta-feira, 19, desde a Praça de Mayo, na frente da catedral portenha, templo onde o cardeal Jorge Bergoglio, o papa Francisco, trabalhou durante mais de uma década.

Esse grupo, que reúne 400 peregrinos que viajarão ao Brasil em oito ônibus, levará três réplicas da Virgem de Luján (a padroeira argentina). Uma das estátuas será entregue ao papa Francisco; outra será dada da presente à catedral carioca, enquanto a terceira está destinada à favela que o sumo pontífice visitará.

Nas últimas semanas, os jovens organizaram rifas, sorteios, concertos de rock, peças de teatro e feiras de alimentos para reunir dinheiro para a viagem.

Sofía López, estudante de 25 anos, colocou durante vários fins de semana uma foto do papa em tamanho natural em uma esquina da Praça de Mayo, na expectativa de arrecadar contribuições dos pedestres interessados em fazer uma foto ao lado da imagem do papa. "Estou feliz com a viagem, pois é um momento de renovação espiritual", explicou ao Estado.

Débora Corvalán, de 17 anos, afirma que tem grande orgulho de que o papa seja argentino. "Mas o que importa mesmo é que ele, independente do lugar onde nasceu, está dando um exemplo ao mundo de grande simplicidade!", exclama.

Centenas de jovens portenhos conhecem o papa Francisco desde os tempos em que era o cardeal Bergoglio. "Sempre ouvia as missas dele, mas nunca imaginei que um dia ele seria o papa", disse Soledad De Angelis, que não se registrou para a JMJ, mas irá mesmo assim. A jovem, de 19 anos, afirma que quer sentir de perto "o clima de alegria cristã" no Rio.

Mais conteúdo sobre:
papa Argentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.