Jornais recebem decisão do STF com ''satisfação''

A decisão do STF também foi bem recebida pela Associação Nacional de Jornais (ANJ). "Recebemos com satisfação, mas também a consideramos uma decisão natural", disse o diretor de relações governamentais da entidade, Paulo Tonet Camargo. "Seria um absurdo cercear a liberdade de crítica, que era o que a lei eleitoral vinha fazendo."

Felipe Recondo, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2010 | 00h00

O repórter Danilo Gentili, do programa humorístico CQC, da TV Bandeirantes, disse ontem que a decisão do STF mostra que vale a pena a mobilização da sociedade em defesa de seus direitos. "Achei ótima a decisão. A pressãozinha da sociedade ajudou alguma coisa", disse.

Para Gentili, o Supremo poderia ter sido mais rápido. "Essa lei deveria ter sido revista logo que surgiu, em 1997, porque é ridícula. O Supremo demorou para reagir", afirmou.

O repórter do CQC também disse que o País ainda deveria rever outras questões relacionadas à liberdade de imprensa. "Existem coisas que vão além dessa lei, que não tem nada a ver com ela. Como é possível que um jornal com a credibilidade do Estadão continue censurado e impedido de publicar informações relacionadas a um caso envolvendo a família Sarney?", perguntou. "Ainda existem políticos que ligam para as emissoras pedindo para tirar isso ou aquilo do ar. O coronel cuida para que ninguém fale mal dele em sua província."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.