Jornais venezuelanos destacam título da Vila Isabel no Rio

Os jornais venezuelanos destacam hoje em suas manchetes a vitória da Unidos de Vila Isabel no carnaval carioca, já que a escola foi patrocinada pelo governo do presidente venezuelano Hugo Chávez.O enfoque dado pelos jornais se distanciou dos comentários burlescos e sarcásticos de comentaristas de rádio e de televisão. Um deles chegou a sugerir que a Força Armada Nacional (FAN) patrocine outra escola de samba em 2007 em troca de permitir que militares venezuelanos desfilem de tangas.Os jornais e as rádios também não entraram em um acordo em relação ao valor do patrocínio dado à Vila Isabel pela estatal Petróleos da Venezuela SA (PDVSA), já que alguns falavam em US$ 450 mil, e outros em US$ 2 milhões.O jornal "El Universal" traz em sua capa a foto do carro alegórico que tinha uma imagem de 14 metros de altura de Simón Bolívar com um coração vermelho na mão direita, qualificada de "figura polêmica", que fechou o desfile da escola."Carro de Bolívar ganhou no Rio" era a manchete do matutino "2001", que também imprimiu em sua capa uma grande fotografia da imagem do líder da independência, assim como os matutinos "Diario Vea" e "El Nuevo País"."Bolívar com plumas premiado no Rio" foi o título da contracapa do "El Nuevo País", que acrescentou que a escola carioca ganhou graças ao melhor samba-enredo, chamado "Soy loco por ti, América", que, segundo o jornal, "resume o pensamento do presidente Chávez".O jornal "El Nacional" trouxe em sua capa uma fotografia com torcedores da Vila Isabel festejando a vitória com uma bandeira venezuelana e reproduziu a letra do samba-enredo, que em uma de suas estrofes diz "arriba, Vila, forte e unida, feito o sonho do libertador", e "a essência latina é a luz de Bolívar".O matutino "Reporte" assegurou em sua capa que "mais de 500 bolivarianos viajaram ao Rio de Janeiro com todas as despesas pagas" para animar o desfile da Vila Isabel."Enquanto em Caracas o povo recebe um carnaval de segunda (...), mais de 500 bolivarianos viajaram ao sambódromo do Rio de Janeiro com todas as despesas pagas para enaltecer o Bolívar carnavalesco da escola de samba paga pela ´Choroesa´", acrescentou, referindo-se ao roubo de dinheiro público em que a PDVSA supostamente está envolvida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.