Jornal é condenado no caso da escola Base

A Folha da Manhã S.A., editora do jornal Folha de S.Paulo foi condenada pelo juiz da 29ª Vara Cível, Manoel Justino Bezerra Filho, a pagar indenizações que somam R$ 1,08 milhão, por danos morais, aos três responsáveis pela escola Base. Ichshiro Shimada, Maria Aparecida Shimada e Mauricio Monteiro de Alvarenga receberão cada o equivalente a 1.500 salários mínimos (R$ 360 mil) com juros e correção. O jornal pode recorrer ao Tribunal de Justiça.O jornal, em edições de março de l994, levada por falsas informações policiais, noticiou supostos casos de abusos sexuais contra crianças matriculadas na escola. O escândalo começou quando duas mães informaram à polícia que os filhos teriam sido vítimas de ?estupro e atentado violento ao pudor? praticados pelos donos, professores e pessoas ligadas à escola. O delegado assistente do 62º DP Edelcio Lemos, sem averiguação, tornou pública a denúncia, divulgada também por outros órgãos de imprensa. Provada a falsidade da acusação, o inquérito foi arquivado na Justiça. Os três responsáveis pela escola já haviam processado a Fazenda do Estado e o delegado Edelson Lemos, condenados em primeira instância a pagar a cada um dos autores R$ 250 mil. O juiz Bezerra Filho disse na sentença que o jornal agiu com ?irresponsabilidade? pois ampliou ?declarações do despreparado delegado de polícia, infelizmente alçado pelo jornal a seu informante indiscutido?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.