Jornalista agredido na porta de delegacia em Diadema (SP)

Na madrugada desta sexta-feira, quando faziam seu trabalho, cobrindo a prisão de um grupo de sacoleiros que havia sido surpreendido com 330 caixas de cigarros contrabandeados, um jornalista foi alvo de agressão física e outro de furto por parte dos contrabandistas detidos. Tudo ocorreu na porta do 3º Distrito Policial de Diadema, na Grande São Paulo, ao lado de policiais militares do 24º Batalhão, os mesmos que haviam encaminhado o grupo à delegacia.O cinegrafista Renato Svezia , da TV Bandeirantes, foi agredido quando sua equipe fazia imagens das caixas de cigarros. Uma mulher apareceu e começou a ofender os profissionais, dando início a uma discussão. Um homem passou carregando uma caixa e ameaçou o cinegrafista, terminando por jogar a caixa em cima dele, quando outros surgiram e passaram a chutá-lo e agredi-lo. O cinegrafista prestou queixa na delegacia e teve de ser medicado no hospital municipal de Diadema, onde passou por exame de corpo de delito.Na confusão, o fotógrafo Filipe Araújo, do Estado, teve seus aparelhos celular e Nextel furtados por um dos que integravam o grupo de sacoleiros. O fotógrafo ainda pediu aos PMs que revistassem os sacoleiros, mas o pedido foi negado. Duas horas depois, numa atitude de "boa-fé", segundo um dos policiais militares, o autor do furto devolveu o Nextel ao fotógrafo, após o delegado trancar todos os sacoleiros em sua sala e ameaçar fazer uma revista. O autor do furto, até às 6h30 desta manhã, não havia sido indiciado nem boletim de ocorrência de natureza de furto registrado.O delegado de Diadema, que não se identificou, disse aos repórteres que se for registrar algum boletim, o fará com a natureza de extravio. O celular do fotógrafo ainda não apareceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.