Jornalista é assassinado no sinal de trânsito no Rio

O jornalista Fernando Villela de Andrade Neto, de 30 anos, foi assassinado na noite de segunda-feira dentro do carro, em um sinal de trânsito, no largo do Santo Cristo, zona portuária do Rio. De acordo com testemunhas, Andrade Neto levou um tiro no peito depois de tentar fugir de dois assaltantes que estavam em uma moto e o abordaram. Os criminosos, que provavelmente tentaram roubar o carro do jornalista, fugiram em direção ao Catumbi.O pai do jornalista, Luiz Fernando de Andrade, disse que o filho era um rapaz calmo e descartou a possibilidade de execução. O jornalista foi sepultado hoje no cemitério de São João Baptista, em Botafogo, na zona sul. Conhecido por amigos e colegas de trabalho como Fervil, o jornalista trabalhava como diretor de conteúdo para uma empresa que presta serviço à empresa uma operadora de telefonia móvel. Ele ia para casa, em Laranjeiras, na zona sul, quando foi assassinado. A delegada Evanora Moraes disse que trabalha com a hipótese de tentativa de assalto seguido de morte. Segundo ela, algumas testemunhas já prestaram depoimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.