Jornalista é baleado no DF ao apurar reportagem

O jornalista Amaury Ribeiro Jr. foi baleado ontem à tarde na Cidade Ocidental, periferia de Brasília. O jornalista, repórter especial do jornal Correio Braziliense, periódico do DF, trabalhava numa série de reportagens sobre a criminalidade, a violência e o tráfico de drogas nas cidades que cercam a capital. Segundo testemunhas, o repórter aguardava um entrevistado num bar quando um rapaz encapuzado, com um revólver calibre 38 nas mãos, chegou ao local atirando. Disparou duas vezes na direção do jornalista e fugiu. Um dos tiros atingiu Amaury em região perto da virilha. Investigadores trabalham com a suspeita de que a agressão tenha relação com as reportagens. O motorista que acompanhava Amaury pediu socorro ao Corpo de Bombeiros, que levou o jornalista a um hospital na cidade-satélite do Gama (a 30 quilômetros de Brasília). Ao chegar ao pronto-socorro, no início da noite, Amaury estava consciente. Calmo, deu sua versão do episódio. Foi rapidamente transferido para o centro cirúrgico para avaliação dos danos internos e localização da bala. O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), visitou Amaury no hospital. ''''Foi um crime não só contra a pessoa física, mas contra a liberdade de imprensa, porque o jornalista estava denunciando a violência na região'''', disse Arruda. O aumento da violência na chamada região do Entorno de Brasília tornou-se nos últimos dias o principal assunto da agenda de Arruda. Os governos do DF e de Goiás pediram auxílio do governo federal. A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou nota em que ''''lamenta e condena com todo vigor o atentado contra o repórter''''. A ANJ lamenta ''''o estado de descontrole a que chegou a criminalidade no País'''' e afirma que ''''acompanhará com especial rigor a apuração do caso, na convicção de que, em benefício da sociedade e da liberdade de informação, é imprescindível seu completo e rápido esclarecimento''''.

Sônia Filgueiras, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2020 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.