Jornalista Marisa Raja Gabaglia morre em SP

A jornalista e escritora Marisa Raja Gabaglia, de 61 anos, que trabalhou durante 18 anos na TV Globo e foi cronista dos jornais Última Hora e Diário Popular (atual Diário de S.Paulo), morreu hoje em São Paulo. O corpo da jornalista foi velado no Hospital Beneficência Portuguesa.Marisa será cremada às 9 horas de amanhã, terça-feira, no Crematório da Vila Alpina, zona leste da cidade.Ex-namorada do cirurgião plástico Hosmany Ramos, atualmente preso na Penitenciária de Araraquara, sob acusação de seqüestros e assassinatos, Marisa era vítima de leucemia e estava internada desde o último natal. Ela tinha duas filhas.A jornalista, que se apaixonou por Hosmany em 1981, gostava de lembrar que, quando começou a namorar o cirurgião, ele era um promissor médico, assistente de Ivo Pitanguy e membro da Associação Brasileira de Cirurgia Plástica. "Nunca me apaixonei por um bandido", costumava dizer.Em 1982, ela lançou o livro "Meu Amor Bandido", contando a história do romance. Oito outros livros foram escritos pela jornalista, que também foi jurada em vários programas de auditório.Seis meses depois do início do namoro, Hosmany foi preso, sob a acusação de matar dois cúmplices, roubar aviões e contrabandear carros importados. Ele está condenado a 53 anos deprisão e, recentemente, mandou um exemplar do seu livro mais recente, "Seqüestro Sangrento", lançado pela Geração Editorial, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com um pedido de comutação da pena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.