Jornalistas condenam pressão sobre a mídia

RIO

, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2010 | 00h00

Reunidos ontem no Clube Militar, no centro do Rio, o diretor de Assuntos Legais da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Rodolfo Machado Moura, e os jornalistas Merval Pereira (O Globo) e Reinaldo Azevedo (Veja) acusaram o governo federal de tentar controlar a produção de notícias e a produção cultural no País desde o início da gestão do presidente Lula, que foi chamado várias vezes de "autoritário".

O tema do painel organizado pelos militares foi "A democracia ameaçada: restrições à liberdade de expressão". O primeiro aplauso do salão lotado veio para Reinaldo Azevedo, quando declarou que a Lei da Ficha Limpa é "escancaradamente inconstitucional". Na única divergência entre os dois jornalistas no debate, Merval disse considerar a lei correta.

Em seguida, Azevedo criticou as restrições propostas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) à publicidade de alimentos não nutritivos. Moura afirmou que não há monopólio da mídia no País.

Após a palestra, Merval disse considerar "um ótimo sinal" o Clube Militar fazer uma reunião pela liberdade de imprensa". "É sinal de que eles (os militares) aprenderam alguma coisa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.