Jornalistas são ameaçados durante campanha eleitoral no Rio

Traficantes abordaram repórteres que acompanhavam Marcelo Crivella na Vila Cruzeiro, na zona norte

Alessandra Saraiva,

26 de julho de 2008 | 21h27

Jornalistas e fotógrafos do O Globo, O Dia e do Jornal do Brasil foram ameaçados por traficantes neste sábado, 26, na comunidade da Vila Cruzeiro, na Penha, zona norte do Rio, enquanto acompanhavam a campanha do candidato Marcelo Crivella (PRB) à Prefeitura do Rio. O senador fazia corpo-a-corpo com eleitores na comunidade, e era seguido por jornalistas e fotógrafos, quando estes foram abordados por bandidos - sendo que um deles estaria armado com um fuzil.     Os traficantes exigiram que as fotos realizadas por profissionais dos veículos no local fossem apagadas, o que foi feito. Mas as imagens conseguiram ser recuperadas.   No início da noite, a assessoria de imprensa do Governo do Estado do Rio divulgou nota classificando o episódio como "gravíssimo". Em seu informe, o governo do estado ressaltou que "o direito de ir e vir de quaisquer candidatos e da imprensa é sagrado". Na análise do Governo Estado, são fatos como esse que tornam "evidente a necessidade de combate sem tréguas à criminalidade".   "O combate ao crime no Rio tem que ser incessante e firme para garantir o processo democrático e a livre circulação de toda a população - o que inclui, naturalmente, candidatos e jornalistas no exercício de suas funções", finalizou o Governo do Estado, em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.