José Alencar passa bem após cirurgia

O vice-presidente José Alencar reagiu positivamente após ser submetido ontem a uma cirurgia para correção de uma obstrução intestinal no hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O procedimento durou cerca de cinco horas. O chefe de gabinete do vice-presidente, Adriano Silva, disse que Alencar passa bem.

Beth Moreira e Anne Warth, O Estado de S.Paulo

28 Novembro 2010 | 00h00

De acordo com boletim médico divulgado pelo hospital no início da tarde, o procedimento foi feito por meio de "ressecção do principal segmento do intestino comprometido". O comunicado informa ainda que "a cirurgia atingiu seus objetivos".

A cirurgia foi conduzida pelos médicos Raul Cutait e Ademar Lopes. Em seguida, Alencar foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) cardiológica. O hospital marcou para hoje uma entrevista coletiva para dar mais esclarecimentos sobre a cirurgia e o estado de saúde do vice-presidente.

As equipes médicas que acompanham José Alencar são coordenadas por Cutait, Lopes, Paulo Hoff, Roberto Kalil Filho e Paulo Ayrosa Galvão. O boletim de ontem foi assinado pelo diretor técnico hospitalar Antônio Carlos Onofre de Lira e pelo diretor clínico Riad Younes.

Alencar, que tem 79 anos e luta contra um câncer na região do abdome há 13, está internado no Sírio-Libanês desde o último dia 23. Esta foi a 16.ª cirurgia à qual o vice-presidente se submete.

O quadro de saúde de Alencar tem se agravado desde o início do mês. Ele ficou internado por 24 dias no Sírio-Libanês, entre outubro e novembro e, na semana retrasada, sofreu um enfarte agudo do miocárdio, tendo sido submetido a um cateterismo.

O enfarte estava relacionado a efeitos colaterais do forte tratamento contra o câncer e por um quadro de anemia. Ele teve alta no dia 16, mas voltou ao hospital uma semana depois.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva passa o fim de semana em São Bernardo do Campo (SP), mas sua agenda não previa visitar Alencar ontem. A presidente eleita, Dilma Rousseff, estava em Porto Alegre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.