Jovem diz que matou escritor no Paraná por dívida de R$ 130

Segundo informações, o jovem Cleverson Schimitt foi até a casa do escritor e, após uma briga, pegou uma faca, golpeou o pescoço de Bueno e depois fugiu

Priscila Trindade, da Central de Notícias

04 de junho de 2010 | 12h43

O jovem Cleverson Petrecelli Schimitt, de 19 anos, confessou ter assassinado o escritor paranaense Wilson Pinto Bueno, 61 anos. A vítima foi encontrada morta na última segunda-feira, 31, em Curitiba, no Paraná.

 

De acordo com a Secretaria de Segurança do Paraná, o crime aconteceu após os dois discutirem na casa do escritor por causa de um cheque no valor de R$ 130.

 

O rapaz trocou o cheque no comércio de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, e usou o dinheiro para pagar algumas contas. No mesmo dia, ele recebeu uma ligação de Bueno informando que ele tinha cancelado o cheque.

 

Schimitt foi até a casa do escritor e, após uma briga, pegou uma faca e golpeou o pescoço de Bueno. Para não deixar pistas, o jovem tentou limpar o local e fugiu com uma câmera fotográfica e dois celulares. Devido ao roubo dos pertences da vítima, a polícia passou a trabalhar com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte). Em seguida, os agentes descobriram o nome do assassino anotado no talão de cheques do escritor. Schimitt foi preso no fim da noite desta quarta-feira, 2, na Fazenda Rio. Ele foi autuado em flagrante por latrocínio e pode pegar pena de até 30 anos de prisão.

 

Wilson Bueno era funcionário do Governo do Paraná desde abril de 1983, quando ingressou no Centro Cultural Teatro Guaíra. Autor de 13 livros, criador e editor por oito anos do jornal cultural "Nicolau", foi colaborador das principais publicações culturais do Paraná e do País.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.