Jovem é acusado de seqüestrar tios, no PR

A Polícia Civil prendeu, neste sábado, dois homens acusados de participar do seqüestro da família do pecuarista Joham Friedrich Schimidt, de Carambeí (região Centro-Sul do Paraná, a 150 quilômetros de Curitiba).Um deles, Josnei Pedrollo de Souza, de 31 anos, é sobrinho das vítimas. O crime ocorreu nesta sexta-feira. Schimidt, de 68 anos, sua mulher, Paulina, 48, dois filhos do casal - Aroldo, 23, e Frederico, 17 -, além do próprio Josnei, foram rendidos por três homens armados que chegaram a pé, à casa deles, na zona rural de Carambeí, no momento em que eles almoçavam.Segundo a polícia, os três colocaram óculos em Josnei e mandaram ele e o tio irem à cidade retirar R$ 30 mil na agência do Banco do Brasil, onde o pecuarista tem conta. Os bandidos afirmaram que os óculos colocados em Josnei tinham uma microcâmera e, se a polícia fosse avisada, eles matariam as pessoas que ficaram na casa.Mas Schimidt conseguiu escrever um bilhete avisando do seqüestro e o entregou a um funcionário do banco, que chamou a polícia. Na fuga, os seqüestradores exigiram levar Josnei como refém, para dirigir a Parati do pecuarista. O rapaz foi deixado em uma rodovia da região, com o carro. Os três homens seguiram em um Audi.A polícia desconfiou do envolvimento de Josnei, casado com uma sobrinha de Schimidt, no crime, porque ele não costumava freqüentar a casa do pecuarista e chegara ao local poucos dias antes.Segundo o delegado Jorge Sebastião, ele caiu em contradição durante o depoimento. Josnei confessou a participação no crime e denunciou Jarme Passos Soares, de 32 anos, como mentor do seqüestro. Soares também foi preso neste sábado. Os outros três membros da quadrilha não haviam sido presos até o início da noite deste sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.