Jovem é baleado no Rio após parada gay

Douglas Igor Marques foi internado no Hospital Miguel Couto, e não correu risco de vida

Kívia Costa, da Central de notícias

15 Novembro 2010 | 12h22

O estudante Douglas Igor Marques, de 19 anos, foi baleado no abdômen na madrugada desta segunda-feira, 15, após participar da parada do orgulho gay do Rio. O jovem foi internado no Hospital Miguel Couto, mas já foi libeardo e, à tarde, prestava depoimento à polícia.

 

Segundo o delegado  Alessandro Thier, da delegacia do Leblon (14º DP), o rapaz disse poder reconhecer o autor do disparo de fuzil. De acordo com o delegado, o rapaz contou que estava namorando, na companhia de outros amigos, quando o grupo foi abordado por militares do Forte de Copacabana.

 

Não soube precisar se eram dois ou três, mas contou que foram repreendidos com palavras grosseiras e agredidos. Em seguida, contou, um deles disparou.

 

A Polícia Civil do Rio enviou um ofício ao Exército, requisitando a apresentação dos três militares envolvidos no caso. Também foi requisitada a presença do oficial do dia (do Exército) para prestar depoimento.

Comando Militar

 

O Comando Militar do Leste negou, em nota, o estudante tenha sido baleado por militares do Forte de Copacabana, na madrugada.

 

A família do jovem acusa um militar do Exército de discriminação, agressão e de ter efetuado o disparo. De acordo com a mãe do rapaz, os amigos foram para o Arpoador depois da Parada e estavam conversando no local. Alguns estavam namorando, daí a desconfiança de motivação homofóbica por parte do autor do disparo.

Segundo ela, o filho contou que o suposto militar os agrediu verbal e fisicamente antes de disparar. "Eles sofreram tortura psicológica e foram agredidos. Foram abordados por preconceito. Não estavam em área militar".

 

A polícia do Rio pediu ao Comando Militar do Leste a lista dos militares que estavam em serviço na noite de domingo. No entanto, o Exército nega a possibilidade de o disparo ter sido feito por um militar, já que não há patrulhamento fora dos limites do forte.

 

(com Marcelo Auler e Alexandre Rodrigues -- atualizado às 13h42)

Mais conteúdo sobre:
Jovem baleado parada gay Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.