Jovem é detido 44 vezes por furto em Minas Gerais

Somente nos últimos 15 meses, após completar os 18 anos, ele cometeu mais de 20 crimes

Rene Moreira, Especial para O Estado

08 de abril de 2014 | 20h13

FRANCA - Um jovem de 19 anos foi detido pela 44.ª vez por furto em Três Pontas (MG). Gustavo Henrique Silva, o Gustavinho, é viciado em drogas e só não foi preso mais vezes porque seus parentes não registraram queixa nas vezes em que levou objetos das casas dos próprios familiares.

"Ele furta de tudo o tempo todo para manter o vício do crack", conta o delegado de Três Pontas, Roberto Alves Barbosa Júnior. O motivo de Silva ter sido solto seguidas vezes e voltado a agir seria porque ele sempre age sem violência. São furtos descritos como simples, que, principalmente após a mudança no Código Penal, que abrandou esse tipo de crime, não costumam deixar o autor por muito tempo atrás das grades.

O rapaz foi preso mais uma vez nesta segunda-feira, 7, por furtar um aparelho de CD, uma furadeira e outros objetos que estavam no interior de um carro. Antes disso, tinha ido parar na cadeia por furtar uma bicicleta e vendê-la por R$ 20, dinheiro que foi parar no cachimbo após ser trocado por duas pedras de crack.

Início. Familiares contam que o rapaz começou a dar problemas no início da adolescência, quando completou 14 anos. Sua mãe, uma empregada doméstica que teve ainda outros seis filhos, criou todos sozinha e sem marido. Como precisava sair para trabalhar, Gustavinho ficava muito na rua, onde em pouco tempo tornou-se um dependente químico.

A partir de então, começaram as detenções, sendo que somente nos últimos 15 meses - após completar os 18 anos - ele cometeu mais de 20 crimes. Três Pontas tem cerca de 50 mil habitantes e a família diz ter dificuldade para internar o rapaz porque ele não quer a recuperação e também pelo fato de a cidade não ter clínicas especializadas para tratar usuários de drogas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.