Jovem é flagrado com US$ 400 mil presos ao corpo

Um rapaz de 19 anos foi preso em flagrante pela Polícia Federal em Fortaleza, com US$ 400 mil amarrados em várias partes do corpo. O dinheiro seria trocado em uma casa de câmbio de São Paulo,destino final de Wilson Roberto Landim Júnior, que gerencia um bar na praia do Futuro,na capital cearense.Por causa do sobrenome, a PF suspeitava de que Júnior teria alguma ligação com o ex-deputado federal Pinheiro Landim, acusado de envolvimento com o narcotráfico, mas isso não ficou confirmado, pelo fato de o rapaz ter nascido em Mato Grosso do Sul.Júnior foi preso por acaso, depois de passar pelo detector de metais do Aeroporto Dias Martins, em Fortaleza. Ele tinha uma chave em um dos bolsos, onde estava um pacote com US$ 20 mil. Ao passar novamente pelo aparelho, os vigilantes notaram quehavia vários pacotes em outras partes do corpo, totalizando os US$ 400 mil. Os agentes da Polícia Federal no aeroporto foram acionados e prenderam o rapaz.Wilson Roberto Landim Júnior afirmou à delegada Rejane Maria Sales que não sabia que transportar dólares era crime contra o sistema financeiro nacional. Segundo ele, o dinheiro pertencia à casa de câmbio Wall Street, de propriedade de seu pai, Wilson Roberto Landim.O pedido para viajar a São Paulo foi feito pela madastra, Nanci Moura do Amaral. Ela deveria entregar os dólares ao primo Rogério Landim, que sabia onde a cotação era maior. Segundo ele, a distribuição do dinheiro pelo corpo foi uma questão de segurança. Junior colocou dois pacotes nos bolsos da calça e amarrou os outros 18 nas pernas e em outros locais.Por causa do sobrenome Landim, a PF desconfiou que o rapaz era parente do ex-deputado, mas, após levantar sua ficha e filiação, descobriu tratarem-se de nomes iguais, já que Junior nasceu em Campo Grande (MS). A prisão foi feita nas primeiras horas desta quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.