AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Jovem infrator fará tratamento antidrogas no Rio

Em vez de enfrentarem processos judiciais os jovens do Rio de Janeiro acusados de consumir drogas poderão optar por um tratamento, cuja duração mínima será de seis meses. Inaugurado hoje, o Programa Especial para Dependentes de Drogas beneficiará adolescentes infratores com idade entre 12 e 18 anos incompletos. A iniciativa é do Ministério Público do Estado e da 2ª Vara de Infância e Juventude, com o apoio do Consulado dos EUA.O programa atenderá inicialmente 50 usuários de drogas. A idéia é que, no futuro, todo o Estado adote a novidade. A cada mês, a 2ª Vara recebe 500 jovens infratores, dos quais 350 estão envolvidos com o uso de entorpecentes. Hoje, 1.200 deles participam de projetos diversos."Atualmente, nosso programa para usuários de drogas alcança 30% de eficácia. Com o novo projeto, o objetivo é ultrapassar 90%", afirmou o juiz Guaraci Vianna, um dos coordenadores do programa, ao lado do médico John Cordeiro e do promotor Márcio Mothé, que este ano passaram 13 dias nos EUA recebendo treinamento.Os processos judiciais permanecerão suspensos até que o adolescente seja considerado recuperado. Caso isso não aconteça, o caso é reaberto.Testes-surpresa semanais serão realizados para detectar traços de substâncias ilícitas na urina dos jovens. Quem desrespeitar as regras do tratamento poderá sofrer sanções diversas: de advertências verbais à exclusão do programa.A inspiração veio de uma experiência norte-americana. A primeira Drug Court surgiu em Miami, no fim dos anos 80, atendendo seis pessoas. Hoje, são mais de 700 Tribunais Antidrogas nos EUA e mais de 240 mil pessoas tratadas, adultos incluídos, com melhora de 75% nos índices de recuperação. "Nos Estados Unidos, para cada dólar gasto no programa, US$ 10 são economizados", diz Cordeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.