Jovem morre ao tentar escalar cachoeira em Brotas

O adolescente Giácomo Paro, de 19 anos, morreu na quarta-feira, 21, em Brotas, na região de Ribeirão Preto, após tentar escalar uma cachoeira de 42 metros de altura, cair e bater com a cabeça. Ele e cinco amigos de Piracicaba estavam passeando e não pediram autorização ao dono da Cachoeira Sete Quedas para entrar na propriedade, que fica a cerca de 15 quilômetros da cidade. Paro foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Ele foi enterrado nesta quinta-feira, 22, em Americana, após ser velado em Piracicaba. A Polícia Civil de Brotas abriu inquérito para apurar o incidente e os cinco amigos da vítima já foram ouvidos pelo delegado Pedro José da Silva.Paro e os amigos chegaram no começo da tarde à cachoeira. Passando por uma área de camping, eles subiram o rio e chegaram à queda d´água, que é usada para rapel. Paro tentou escalar a cachoeira, apenas de bermuda e tênis, sem qualquer equipamento de segurança. Ele escorregou, caiu e bateu com a cabeça numa das pedras. Um dos amigos pediu socorro a um funcionário da fazenda. Uma ambulância chegou, mas Paro não resistiu aos ferimentos. Os amigos ficaram em estado de choque.Um outro acidente, ocorrido em janeiro de 2004, numa cachoeira da cidade, provocou a morte da bancária Andréa da Silva, de 27 anos, de Campinas, que descia da cachoeira com uma corda, que se rompeu. Devido ao incidente, dois guias turísticos foram indiciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) por homicídio culposo (sem intenção) e o caso continua na Justiça de Brotas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.