Jovem nega ter disputado 'racha' com sobrinhos de Cacciola

Daniel Mascarenhas Alvim Carvalho disse que vai provar que isso não é 'verdade'; irmãos não deram entrevista

Márcia Vieira, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2009 | 18h40

Daniel Mascarenhas Alvim Carvalho, de 26 anos, negou nesta terça-feira, 24, que estivesse participando de um "racha" junto com Rodrigo Lyrio Badin, Giacomo, e Giordano Cacciola, sobrinhos do ex-banqueiro Salvatore Cacciola, na Rodovia Washington Luis, na região serrana do Rio. Os quatro foram presos pela Polícia Rodoviária Federal na manhã de sábado depois que um deles bateu numa Kombi no km 53.

 

Veja também:

linkSobrinhos de Salvatore Cacciola são detidos em 'racha' no Rio

 

De acordo com testemunhas ouvidas pela PRF, eles dirigiam seus carrões - um Porsche Cayman, um Audi S5, um BMW 550i e outro BMW M3 - a mais de 200 km/h, enquanto um dos rapazes filmava as manobras na rodovia, através do teto solar. "Vamos mostrar em juízo que nada disso é verdade. Eu não estava praticando racha e não houve prisão", disse Carvalho, sócio de uma empresa de treinamento para operadores do mercado de capitais.

 

Segundo o delegado Antonio Celso, da 106ªDP, os quatro não quiserem prestar depoimento no sábado. Mas o inquérito foi encaminhado para o Juizado Criminal de Itaipava. No dia 8 de maio, será realizada a primeira audiência do caso.

 

De acordo com a legislação, eles responderão em liberdade pelo envolvimento em acidente de trânsito durante corrida automobilística em via pública. Os irmãos Giordano, de 31 anos, e Giacomo, de 24, trabalham na empresa de móveis Lacca, fundada pelo pai, Renato, irmão do ex-banqueiro Salvatore, preso em Bangu 8, no Rio. Giordano cuida da parte comercial e Giacomo da criação. Procurados pelo Estado, eles não quiseram dar entrevista.

Tudo o que sabemos sobre:
prisãorachaRioSalvatore Cacciola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.