Jovem preso no Rio pode ser irmão do assassino de socialite

O jovem de 17 anos preso na tarde de quinta-feira pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, pode ser o irmão do homem que matou a socialite Ana Cristina Gianini Johannpeter, num sinal de trânsito do Leblon, zona sul do Rio, na quarta-feira à noite.Identificado como M., ele disse ter ficado ´muito nervoso´ ao anunciar o assalto e, por isso, disparou seu revólver 38 contra a cabeça da vítima. A arma que teria sido usada foi encontrada na casa dele, na Cruzada São Sebastião, comunidade pobre próxima do local do crime.Porém, o jovem foi reconhecido por uma testemunha, mas não pela filha de Ana Cristina, Manuela, de 21 anos, que estava a seu lado no Mercedes-Benz da família. A polícia também investiga a hipótese de o menor ter confessado para proteger o assassino, supostamente maior de idade, já que sua punição seria mais branda.Entretanto, a PM, que efetuou a prisão por volta do meio-dia, cerca de 16 horas depois do assassinato, acredita que ele tenha sido mesmo o autor do disparo. Outros dois jovens, um menor e um maior, também moradores da Cruzada São Sebastião, são procurados. Ele são suspeitos de dar cobertura à ação do menor, que já tinha três passagens pela polícia, todas por assalto.AssaltoA vítima estava com o vidro de seu automóvel aberto, porque fumava um cigarro. Ela foi abordada por um rapaz, que queria seu relógio. A filha dela disse à polícia que a mãe não reagiu e que se preparava para entregar o relógio quando ocorreu o disparo. O assaltante fugiu numa bicicleta. A polícia nega a existência da chamada ´gangue da bicicleta´, que teria feito vítimas em diferentes bairros cariocas, inclusive a atriz Christiane Torloni.Amigos da socialite contaram, na quinta-feira que ela dispensou a segurança pessoal há um mês. ´Queria levar uma vida normal, não andava em carro blindado´, disse Narcisa Tamborindeguy, socialite carioca que foi casada com Cláudio Johannpeter, filho de Jorge Gerdau.Além de Narcisa, cerca de 150 pessoas foram se despedir da socialite. O velório aconteceu na tarde de quinta-feira, na capela 8 do Memorial do Carmo. A cremação ocorreu no cemitério São Francisco Xavier, na zona norte do Rio.Ana Cristina foi casada até 1983 com Germano Gerdau Johannpeter, vice-presidente do Grupo Gerdau.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.