Jovem que morreu após competição de tereré teve um AVC

Laudo do hospital confirmou diagnóstico; família reclama de demora no atendimento

João Naves de Oliveira, O Estado de S. Paulo

03 Maio 2013 | 18h06

CAMPO GRANDE - Um laudo médico expedido pela Santa Casa de Campo Grande afirma que a causa da morte da jovem que morreu após a competição “roda de tereré” foi um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Horas hora depois de beber grandes quantidades da substância, semelhante ao chimarrão, mas com água gelada, Luana Priscyla Fernandes Soares, 21 anos, começou sentir dor de cabeça e ânsia de vômito e foi levada para o hospital, onde morreu.

A emissora de rádio Blink 102 FM promoveu o evento no último domingo, 28, e ofereceu prêmio de R$ 5 mil para quem ingerisse a maior quantidade de tereré. A disputa começou às 16h e, por volta de 17h, Luana desistiu da competição, reclamando de mal-estar. Foi até o sanitário, levada pelo marido, Welton Godoy Miranda, 29 anos, coordenador do grupo de competidores onde a esposa estava incluída, e voltou para a disputa.

Momentos depois, quando foi ver a mulher, ela já havia sido transportada para a Unidade de Pronto Atendimento mais próxima do local, e de lá para a Santa Casa de Campo Grande. Ficou internada até a tarde de terça-feira, 30, quando faleceu. A família está inconformada. Welton acredita que houve muito atraso na internação, uma vez que o internamento da esposa ocorreu somente às 23h na UTI do hospital.

Miranda não acredita que a ingestão excessiva de tereré tenha causado o AVC e explica que, durante uma hora, a esposa não conseguiria “beber muito tereré”. Segundo o diretor da Blink FM 102, Alex Bachega, “realizamos o mesmo evento no ano passado. Sabemos não dá para beber nem dois litros de tereré durante uma hora”.

Com os mesmos sintomas, também foi internado um rapaz que havia tomado 6 litros de tereré. Segundo explicou o médico do hospital, o cardiologista Luiz Ovando, o rapaz estava com convulsão devido a uma intoxicação hídrica. Conforme informações do hospital, o garoto passa bem. A direção da Blink FM 102 distribuiu nota informando ter socorrido prontamente Luana e diz que “não mediu esforços para garantir o atendimento”.

Mais conteúdo sobre:
AVC

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.