Jovem voltava do supletivo quando foi morta

Ana Cristina Macedo foi baleada em tiroteio entre guardas e ladrões

, O Estadao de S.Paulo

02 de setembro de 2009 | 00h00

A manifestação tinha por objetivo chamar a atenção das autoridades pela morte da estudante Ana Cristina Macedo, de 17 anos, anteontem. Ela foi baleada durante tiroteio entre guardas municipais (GCMs) de São Caetano, no ABC, e ladrões de um carro Ford Ka, roubado de uma universitária. Ana Cristina foi atingida por um tiro perto do pescoço, quando voltava sozinha do supletivo na Escola Estadual Ondin Cavalcanti, na mesma região. O enterro será hoje, às 11 horas, no Cemitério de Vila Alpina, zona leste."Estava uma barulheira, acho que ela se assustou e se escondeu atrás de um carro, e eles confundiram ela com o suspeito", afirmou o garçom Iraildo Carlos da Silva. Ele se escondeu em casa, assustado, ao ouvir os tiros. Quando saiu, viu a garota na rua, sangrando. "Agora, só queremos Justiça", disse Silva. A Polícia Civil investiga se o tiro partiu da arma de um dos três guardas ou dos dois assaltantes que fugiram e até a noite de ontem não haviam sido capturados. Segundo policiais, os guardas perseguiram o Ford Ka desde São Caetano do Sul. O supervisor da corporação, Adenízio Nascimento, disse que a perseguição começou no Jardim São José, quando os suspeitos fugiram na contramão ao notar as viaturas. Na fuga até Heliópolis, os ocupantes do carro ainda teriam atirado várias vezes contra os GCMs, que revidaram. O Ka ainda bateu contra uma das quatro viaturas e em um Corsa, antes de parar na favela. Dois suspeitos conseguiram escapar, mas uma faxineira acabou detida dentro do Ford Ka e foi reconhecida como uma das autoras do roubo.Parentes da estudante disseram que ela passava pela rua em que foi morta justamente para desviar de outras que seriam mais violentas. A jovem trabalhava em uma loja de bebidas no Ipiranga para ajudar nas despesas da casa, alugada pela família. Segundo os amigos, a garota estava feliz com a filha de 1 ano e 8 meses e pretendia casar com o pai da criança, o namorado Bruno Souza, neste ano. Bruno passou mal ao saber da morte da garota e teve de ser sedado. A mãe da vítima, Francisca Pereira, teve uma crise de pressão alta e foi hospitalizada. Francisca disse em uma emissora de TV que pretende processar o Estado. Nascida na cidade de Crateús, no Ceará, Ana veio morar em São Paulo com a mãe quando tinha 2 anos. O pai e um irmão gêmeo ainda moram no Ceará.AFASTADOSA Secretaria de Segurança Urbana de São Caetano do Sul informou que afastou das funções os três guardas envolvidos na ocorrência. São eles: Edson Damião Estevam, Luziel Pereira da Costa e Vicente Pereira Passos. A GCM também abriu processo administrativo para apurar os fatos. Os três guardas tiveram as armas apreendidas para perícia. O caso foi registrado no 95º Distrito Policial (Heliópolis) pelo delegado Osmar Ayres Sobrinho, como homicídio simples. JOSÉ DACAUAZILIQUÁ,CAMILLA HADDAD, DANIELA DO CANTO e MARICI CAPITELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.