Jovens farão serviços por causa de apelido

Três jovens de classe média, de 15 anos, terão de prestar serviços à comunidade, por oito horas semanais durante seis meses, por terem chamado uma colega de "bode", em Ribeirão Preto. A decisão, um acordo para encerrar o processo movido pelo pai da garota, foi do juiz da Vara da Infância e da Juventude, Paulo César Gentile. "Ele (o juiz) disse que se o acordo não for cumprido, os garotos teriam de ficar três meses na Febem", disse uma das mães. Em nota, o colégio diz que faz trabalhos de conscientização contra agressões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.