Jovens saem de contêiner para unidade superlotada no ES

Os dez menores infratores que passaram dez dias encarcerados em contêineres no Espírito Santo, por problemas de relacionamento com os outros garotos que cumprem medida socioeducativa, foram retirados das "celas de lata" e encaminhados para uma unidade de internação superlotada. Ontem, o secretário de Justiça, Ângelo Roncalli, prometeu abolir o uso geral de contêineres em 40 dias.Segundo o governo local, desde quarta-feira os meninos deixaram de viver em um espaço de 12 metros para dividir a Unidade de Internação (Unis) com outros 290 menores, em um local onde existem 130 vagas. A superlotação não é exclusiva da entidade. Em todo o Estado, 621 adolescentes cumprem medida em um sistema que foi planejado para abrigar 300 em conflito com a lei. A Fundação Abrinq, que considera precária a situação, registrou denúncia. "Não há como pensar em recuperação em uma situação como essa", afirma o presidente da entidade, Synésio da Costa. No sistema carcerário, segundo vistoria feita pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em sete presídios, as celas superlotadas obrigam adultos a se revezarem para dormir.

FERNANDA ARANDA, O Estadao de S.Paulo

23 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.