Jovens são acusadas de apedrejar e matar garota de 13 anos em Foz

A estudante Taís Cristina Martins teria sido atraída para uma cilada depois que uma menor descobriu que ela saia com seu namorado

Julio Cesar Lima, Especial para o Estado

08 Maio 2014 | 20h21

CURITIBA - A estudante Taís Cristina Martins, de 13 anos, foi apedrejada e morta em Foz do Iguaçu, nesta segunda-feira, 9. Duas jovens, de 15 e 18 anos, acusadas do crime, estão detidas. No momento da prisão, a menor e Jéssica Culodel, que, segundo a polícia, confessou o envolvimento na morte, quase foram linchadas pela vizinhança.

Segundo o delegado da Delegacia de Homicídios de Foz do Iguaçu, Marcos Araguari, os depoimentos colhidos até agora indicam que o Taís estaria saindo com o namorado da menor, que teria pedido a ajuda de Jéssica para armar uma cilada. "Foi uma falsa amiga que levou ela para a emboscada", afirmou a mãe de Taís, Maria Aparecida Gonçalves Martins. A polícia suspeita que dois rapazes estejam envolvidos no crime.

De acordo com Araguari, Jéssica afirmou que a menor teria golpeado Taís com pedras e madeira. Ela disse que a estudante morreu afogada após ter sido jogada na Subestação de Furnas, onde o corpo foi encontrado, e não por causa do espancamento. Em entrevista à Rádio Cultura, de Foz do Iguaçu, o delegado, porém, afirmou que a versão de Jéssica contradiz os laudos do Instituto médico-legal (IML). De acordo com Araguari, os exames comprovaram a morte da garota por causa dos ferimentos provocados pelos golpes.

Ao serem presas, as duas acusadas tiveram de ser protegidas pelos policiais, pois vizinhos tentaram linchá-las. Suspeita-se que dois rapazes também estejam envolvidos no crime.

Família. Segundo a mãe de Taís, a garota morava na casa da avó, no Jardim Canaã, periferia da cidade, e estava sob a guarda do pai. "Ela estava fora havia dois dias, e o ele (pai) não me avisou que ela tinha sumido." Maria Aparecida, agora, aguarda o desenrolar do processo. "Quero justiça. Cada um que fez isso vai ter de pagar. Minha filha era uma criança", disse.

Mais conteúdo sobre:
Violência Foz do Iguaçu

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.