Jovens seqüestradas em Cerro Negro-SC são libertadas

As duas jovens passaram 25 horas em poder dos assaltantes e não parecem ter sofrido violência física

Júlio Castro, especial para o Estado,

01 de julho de 2008 | 16h27

Depois de 25 horas em poder de seqüestradores, a adolescente Camila Correa, 17 anos, e a funcionária púbica Kelly Coelho, 23, foram soltas e localizadas no final da manhã desta terça-feira, 1, no município de Rio Canoas, cerca de 30 quilômetros de Cerro Negro, local onde foram rendidas no dia anterior. Segundo o delegado Rogério Castro, da polícia civil de Cerro Negro, município do planalto serrano catarinense e distante cerca de 300 quilômetros de Florianópolis, elas foram liberadas pelos seqüestradores e em seguida telefonaram para os familiares.   "Se apresentaram fisicamente bem, mas muito cansadas e em choque. Informações preliminares dão conta que não teriam sofrido qualquer tipo de violência física", afirmou Rogério Castro que nesta quarta-feira, 2, vai colher o depoimento oficial das vítimas. Até o final da tarde desta terça-feira os seqüestradores ainda não haviam sido localizados. Cerca de 70 homens e um helicóptero da polícia militar faziam buscas pelos bandidos. "Pelas evidências, suspeitamos de que estes elementos pertencem a nossa região", diz Castro.   Na segunda-feira, 30, os dois bandidos armados embarcaram em um ônibus coletivo que seguia de Abdon Batista para Lages. Segundo relato dos passageiros do ônibus, eles tinham informações que no veículo havia um malote contendo o dinheiro para pagamento dos funcionários da prefeitura de Abdon Batista. Como não acharam, resolveram assaltar os cerca de 30 ocupantes do ônibus. Conseguiram arrecadar cerca de R$ 300,00 e alguns objetos de valor.   Um dos criminosos assumiu o volante por alguns minutos, mas logo em seguida resolveu parar para render o agricultor Gilmar Duarte que estava acompanhado de dois cavalos encilhados. Os assaltantes fizeram Gilmar entrar no ônibus e fugiram montados pelo mato levando junto Camila e Kelly. Entre os passageiros do ônibus, estava Elias Gonçalves, marido de Kelly que acompanhou tudo sem poder fazer nada.

Tudo o que sabemos sobre:
Santa Catarinaseqüestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.