Juiz aceita acusação da promotoria contra Farah

O médico Farah Jorge Farah será processado por homicídio triplamente qualificado, vilipendio e ocultação de cadáver. A denúncia foi apresentada nesta quinta-feira pelo promotor Orides Boiate e foi acatada pelo juiz do 2º Tribunal do Júri, Marco Antônio Martin Vargas.Farah confessou que matou e esquartejou a amante Maria do Carmo Alves, de 46 anos, em seu consultório na Zona Norte da Cidade. O cirurgião poderá ser condenada a uma pena de 18 a 36 anos de prisão, em regime integralmente fechado.O interrogatório do réu (primeira audiência do processo) foi marcada para o próximo dia 21 às 10 horas. Nesta quarta-feira, Martin Vargas acolhera pedido da defesa para que o réu receba tratamento médico psiquiátrico no 13º Distrito Policial, onde ele está preso preventivamente. O juiz mandou oficiar ao delegado titular daquele distrito para que informe a respeito do tratamento que eventualmente se fizer necessário. O médico que atender Farah deverá prestar todos os informes e elaborar relatório minucioso.Nesta quinta-feira também a promotoria recorreu da decisão do juiz Martin Vargas que concedeu habeas-corpus à Farah, para desobriga-lo de comparecer a reconstituição do crime. O promotor insiste que o réu esteja presente por ocasião da diligência. O juiz Martin Vargas recebeu o recurso que será julgado pelo Tribunal de Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.