Juiz acusado de deixar mulher mandar em fórum do interior é afastado pelo TJ

O juiz de São José do Egito (PE), José Francisco de Almeida Filho, foi afastado por 90 dias de suas funções. O motivo foram os indícios de que quem efetivamente mandava no fórum era sua mulher, Maria do Socorro Mourato Almeida. Seu afastamento foi decidido por 11 votos a 2 pelo pleno do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Maria do Socorro não é juíza nem concursada, mas segundo denúncias recebidas pela Corregedoria-Geral da Justiça participava ativamente das audiências, chegando a arbitrar alimentos, dar voz de prisão e atender a partes e advogados, entre outras supostas ingerências na administração da comarca. O presidente do TJ, desembargador José Fernandes de Lemos, afirmou não ser inusitado, em Pernambuco, casos como esse. Na magistratura há 14 anos e 9 meses, o juiz terá agora tempo para se defender no processo administrativo. Almeida Filho, 68 anos, recebeu com surpresa a decisão. "Foi precipitado", afirmou ele, ao Estado, por telefone. Ele se diz vítima de um complô e nega interferência da mulher na comarca. Argumentou que, se isso acontecesse, o Ministério Público já o teria denunciado. Admite que a mulher, aposentada há 13 anos, o acompanhava no trabalho, mas sem interferir. "Ela é formada em história, não entende de direito. Mas se disse tranquilo. "Vou reverter essa situação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.