Juiz aposentado é morto a tiros no Espírito Santo

O juiz do trabalho aposentado Manoel Medeiros, de 75 anos, foi assassinado na madrugada de hoje, em seu sítio, localizado à beira da BR-262, entre os municípios Marechal Floriano e Domingos Martins, no Espírito Santo. Usando uma arma que pertencia ao próprio juiz, os criminosos atiraram cinco vezes contra Medeiros.A principal hipótese investigada pela equipe da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa, chefiada pelo delegado Danilo Bahiense, é a de latrocínio (roubo seguido de morte).No entanto, a possibilidade de que o crime tenha sido cometido por vingança também é investigada. O delegado André Luiz Cunha Pereira disse que a arma usada pelos assassinos, um revólver Rossi de cinco tiros, foi descarregada em Medeiros, um septuagenário, o que o delegado considerou "desnecessário".O crime começou por volta das 20h30 de ontem, quando Medeiros, sua esposa, Joscinir Comério, de 47 anos, e a empregada Glória Maria Brielo, de 48, foram seqüestrados na casa da família por quatro homens armados. Os três foram levados até o sítio em um Fiat Stilo, pertencente ao juiz. Ao chegarem ao local, dominaram o caseiro Otávio Vicente de Souza e outros empregados.Os bandidos vasculharam a casa e após ameaçarem matar a todos, atiraram em Medeiros. Eles fugiram com dinheiro, eletrodomésticos e armas encontradas no sítio, avaliados pela polícia em R$ 210 mil. A arma usada no crime, abandonada no local, foi encaminhada para perícia, assim como o carro da família. O sítio também foi periciado.A morte do juiz provocou a suspensão das atividades do Tribunal Regional do Trabalho do Espírito Santo (TRT-ES), ontem, nas varas da capital e do interior. O presidente em exercício do órgão, juiz José Carlos Rizk, decretou luto. Medeiros nasceu em Mar de Espanha, Minas Gerais, em 28 de novembro de 1928. Ele ingressou na magistratura em 1979 e no TRT em 1990.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.